quarta-feira, 23 de março de 2016

Hoquei em Patins infantis Benfica de Moçâmedes

Foto de Luis Bonvalot Nobre



Reconhece-se, entre outros: Zé Carneiro,., Jorge Brás,  Luis Filipe Jr,  Francisco Melo,  Mário João Duarte, Luis Bonvalot Nobre, Nuria Braz, Carlos Veríssimo,  Martins, Rogério, Victor, ...

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Moçâmedes e o Desporto: Basquetebol nas Escolas


Equipa de basquetebol da Escola Industrial e Comercial Infante D. Henrique de Moçâmedes . Década de 1960?

segunda-feira, 29 de julho de 2013

terça-feira, 3 de abril de 2012

Basquetebol feminino em Moçâmedes: Sport Moçâmedes e Benfica



Algumas das pioneiras da modalidade de basquetebol feminino em  Moçâmedes (Sport Moçâmedes e Benfica). De cima para baixo e da esq. para a dt: Em cima: Ofélia Nascimento, Hélia Paulo (a minha tia), Maria Amélia Gouveia, (Tito), Esmeralda Figueiredo e Maria Guerra? Embaixo: Maria Augusta Gouveia (Tito), Olga Coquenão e Ana Liberato. Mas outras, por não se encontarrem aqui não deverão por isso ser esquecidas, tais como Semi Amaro, Luzia Cabral, Néné Cabral, Ivete Campos...



Um pouco da História do Basquetebol Feminino em Moçâmedes (hoje, cidade do Namibe)


1. Sport Moçâmedes e Benfica, o Clube pioneiro:


Estava-se nos finais da década de quarenta, num mundo de pós Grande Guerra onde tudo estava aceleradamente a mudar: usos, costumes, mentalidades... E essas mudanças estavam também a acontecer em Moçâmedes...

Quem diria uns anos antes que estas raparigas estariam aqui? O desporto, dizia-se ainda nos anos 40, era prejudicial à maternidade, e a mulher nasceu para ser mãe! E para os mais puritanos, desporto feminino era puro exibicionismo e um perigo para a «pureza» e o «pudor», as qualidades mais apreciadas numa mulher. Mas o mundo não pára e as gerações das raparigas do pós-guerra II Grande Guerra (1939-1945)  jamais voltariam a ser como as das suas mães e as suas avós!

O Sport Moçâmedes e Benfica foi o primeiro Clube de Moçâmedes a arrancar para a modalidade com a criação de duas equipas de basquetebol feminino que se disputavam entre sí, na ausência de equipas competidoras, uma envergando camisolas vermelhas com números brancos, outra envergando camisolas brancas com números vermelhos. Mas essas equipas não passaram de epifenómenos e depressa se esboroaram, porque nesta altura eram ainda muito poucas as jovens cujos pais consentiam em as deixar enfileirar em actividades desportivas. Outras, começavam a namorar e acabaram por desistir. Assim, tiveram que passar mais alguns anos para que as mentalidades mudassem um pouco mais, e a modalidade começasse a ser praticada por outros clubes da terra com redobrado vigôr  e entusiamo, o que veio a acontecer com a entrada na década de 50, a década de ouro do desporto moçamedense. Esses tempos de transição ficariam também marcados pelo modo como as raparigas se apresentavam equipadas, não com calções, como posteriormente iria acontecer, mas com short´s bem até ao joelho, que não eram apenas moda mas porque assim mandavam as regras de «decência» e os «bons costumes». Era assim que aconselhava Salazar: recato e sobriedade, condições essenciais a uma futura mãe de família!


                                   2. A  década de ouro do basquetebol feminino em Moçâmedes.
O regresso do Basquetebol feminino ao velho campo de jogos do Sport Moçâmedes e Benfica

 Após a primeira experiência, o desporto em Moçâmedes ficou algum tempo sem a modalidade feminina de basquetebol até que Cecílio Moreira, então professor de Exercícios Físicos na Escola Prática de Pesca e Comércio de Moçâmedes, no âmbito da Mocidade Portuguesa, começou a ministrar aulas de Ginástica, a jovens de ambos os sexos, no salão do Sport Moçâmedes e Benfica, por diligências do Presidente do mesmo, Luciano da Cruz Coquenão.  Das aulas de ginástica ao basquetebol feminino, foi um salto, e o  Sport Moçâmedes e Benfica, clube aguerrido e feito de muita «carolice», foi, de novo, o primeiro a formar uma equipa de basquetebol feminino, por volta de 1952.  Este facto foi consolidado com a chegada à cidade de Madame Sybleras, a senhora francesa vinda do Congo Belga, que passara a ministrar as aulas de Ginástica feminina no salão daquele clube, na  Rua Governador Calheiros, ao lado do edifício da Câmara Municipal de Moçâmedes, dando um novo incremento à modalidade que começou de facto a ganhar cada vez mais aderentes, já que foi em crescendo o número de  jovens que se inscreveram. Aliás, o Benfica sempre foi o clube da terra com o maior elenco de atletas. Vejamos então como eram compostas a equipa do Sport Moçâmedes e Benfica (foto acima) que se sucederam desde  esses tempos de recomeço, por volta de 1952/3:


Eis uma das equipas que se seguiram, (esta em 1952/3 e não como vem na foto, onde se podem ver pelo menos dois elementos da equipa pioneira desistente de alguns anos antes. É o caso das irmãos Maria e Augusta Gouveia (as irmãs Tito). Da esq. para a dt. Em cima: Celeste Ornelas, ?, Maria Gouveia, Lurdes Teixeira e Marlene Oliveira, Treinador Lemos. Embaixo: Gina Trindade, Fátima Abrantes, Clarabela Trindade, Maria Augusta Gouveia e Fernandina Peyroteu

Uma composição idêntica, em  1953. Em cima: Fernandina Peyroteu, Maria de Gouveia (Tito), Virginia Uria, Marlene Oliveira e Maria Augusta de Gouveia (Tito) Embaixo: Gina Trindade, Clarabela Trindade (Bela), Celeste Ornelas e Fátima Abrantes.



Este foi o 1º encontro entre o Sport Moçâmedes e Benfica e uma equipa de fora. Trata-se da equipa de basquebol feminino do Futebol Clube do Lubango (nome estranho na medida em que se trata de basquetebol, mas era mesmo assim). Nessa altura quem treinava a equipa do Lubango era António Inácio dos Santos que pouco tempo depois veio fundar o Ginásio, radicando-se em Moçâmedes para onde foi transferido pelos CFM. Em cima da esq. para a dt.: Ramiro Reimão de Castro (Dirigente do FCL) e Manuel Inácios dos Santos (treinador do FCL). Das atletas do Benfica: Gina Trindade, Maria Augusta de Gouveia, Celeste Ornelas, Bernardete Diogo. à esq. o dirigente do Benfica, Djialme Bernardinelli Embaixo. Das atletas do Benfica: Clarabela Trindade (Bela), Fátima Abrantes, Marlene Oliveira e Oliveira (Maboque), dirigente do Benfica .


1º encontro entre o Sport Moçâmedes e Benfica e uma equipa de fora. Trata-se da equipa de basquebol feminino do Futebol Clube do Lubango. Em cima da esq. para a dt:  Gina Trindade, ?, Maria Augusta de Gouveia, ?, Celeste Ornelas, ?, Bernardete Diogo, ?.  Embaixo: Clarabela Trindade (Bela), ? , Fátima Abrantes, ? , e Marlene Oliveira.


Antes do jogo: os então habituais cumprimentos




Em cima, da es. pqrq a dt: Bernardete, Marlene Oliveira, Celeste Ornelas e Clarabela Trindade.
Embaixo: Gina Trindade, Maria Augusta de Gouveia (Tito) e Fátima Abrentes.


Da esq. para a dt. Em cima:  Gina Trindade, Maria Auguts Gouveia, Marlene Oliveira, Bernardeth Diogo e Celeste Ornelas  Embaixo: irmãs Clarabela e Gina Trindade




O Benfica acabaria por ganhar um novo e precioso elemento: Minelvina Cruz. Verifica-se a saida das irmãs Tito nesta altura para o Atlético Clube de Moçâmedes. Da esq. para a dt e de cima para baixo: Lurdes Teixeira, Fátima Abrantes, Madame Sybleras (prof Ginástica), Gina Trindade, Marlene Oliveira e Minelvina Cruz e Arménio Lemos (Treinador)
Embaixo: Julia Vilhena, Gina Figueira Fernandes, Clarabela Trindade (Bela), e Stela Trocado.

Da esq. para a dt: Fernandina Peyroteu, Minelvina Cruz, Lurdes Teixeira, Helena Peyroteu e Irene Amado . Embaixo: Marlene Oliveira, Clarabela Trindade, Fátima Abrantes e Gina Trindade


As duas capitãs trocando galhardetes: Clarabela Trindade, do Sport Moçâmedes e Benfica e Alxandra do Feminino de Benguela



Da esq. para a dt: Fátima Abrantes, Minelvina Cruz, Fernandina Peyroteu, Marlene Oliveira e Lurdes Teixeira. Embaixo : Gina Figueira Fernandes, Clarabela Trindade, Gina Trindade e Irene Amado .

As irmãs Gina e Clarabela Trindade

Da esq. para a dt: Mme Sibleyras (treinadora), Lurdes Teixeira, Marlene Oliveira, Helena Santos, Minelvina Cruz e José Inácio dos Santos (treinador)
Embaixo: Clarabela Trindade, Miloca Alves, Gina Figueira Fernandes e Fernandina Peyroteu



Da esq. para a dt: Minelvina Cruz, Marlene Oliveira, Bernardete, Lurdes Teixeira e Esmeralda. Embaixo: Fátima Abrantes, Lurdes Tavares,  Clarabela Trindade e Graciete (gémea). Minelvina, Marlene, Bernardete, Clarabela eram excelentes basquetebolistas que empolgaram multidões em mesdos dos snos 1950 , e  apesar de mais nova outro valor se iria revelar, em Lurdes Figueiredo



Da esq. para a dt. Em cima: Minelvina, Gina, Lurdes, ? e Marlene.Embaixo: Gina Figueira Fernandes, Clarabela, ? e Esmeralda





Clarabela e Alexandra (pelo Feminino de Benguela) trocam galhardetes



Começaram a surgir novas formações. Em cima e da esq para at: Luisa (Gémea), ?, Lurdes Teixeira, Júlia Minas e Gina Figueira Fernandes
Embaixo: Edith Pinheiro, Graciete (Gémea), ? e Clarabela



 
E as meninas eram tantas que o Benfica teve que formar outras esquipas.. São elas, da esq. para a dt. e de cima para baixo: Guida Tavares, Manuela Sena Costa, Lurdes Teixeira, Lurdes Figueiredo e Carla Frota. Embaixo:  Céu Martins, Marilia Cavaco,   Alice Teixeira, Carolina (Lina) Frota e Ivone Bernardino




Da esq. para a dt. e de cima para baixo: Isaura Aguilar, Alice Teixeira, Manuela Costa e  Carla Frota. Embaixo: Ivone Bernardino, Carolina Frota (Lina) e Manuela Leitão







Outros valores vão surgindo nos anos 1960...






Da esq. para a dt. e de cima para baixo: Minelvina Cruz (veterana), ?, Amélia Castro e ?. Elsa Bernardino, ?, Elizabete Bagarrão e ?



Da esq. para a dt. e de cima para baixo: Elizabete Bagarrão, Minlvina Cruz, Amélia Castro, Costa Santos e? Embaixo: Graciete Bagarrão, ?, Elsa Bernardino e Ivone Bernardino



Da esq. para a dt e de cima para baixo: Elizabete Bagarrão, ?, ?, ? e Amélia Castro. Embaixo: ?, Minelvina Cruz, ?,?



Da esq. para a dt, e de cima para baixo: Minelvina Crus, ?, Guida Tavares e Elsa Bernardino. Embaixo: Chana, ?,?,?, Alice Teixeira





19.06.1960 . Prontos a embarcar para o Lobito, na companhia dos dirigentes do Sport Moçâmedes e Benfica, Mário Guedes da Silva e Artur Pinho Gomes: Minelvina Cruz, Maria dos Prazeres, Manuela Costa, Ivone Bernardino, Carla Frota, Júlia Castro, Alice Teixeira,  Ana Conceição, e Ana Rosa. DE 4 jogos realizados em Benguela venceu ao Sport Clube de Benguela, perdeu 2 com o Sporting Clube  Portugal de Benguela e um com o time representativo do Bocoio


As Benfiquistas: Elsa Bernardino, Carla Frota, Guida Figueiredo, Lurdes Figueiredo. Embaixo: ?,?, Lina Frota e Céu Martins

Da esq. para a dt: ?,?, Costa Santos, Graciete Bagarrão, Vanda Caldeira e Elsa Bernardino:



Humberto  Pinho Gomes (dirigente) e  Minelvina Cruz




Amélia Castro, Minelvina Crus e Elizabete Bagarrão


Em Benguela, da esq para a dt, em cima: Elsa Bernardino, ?, ? e Elizabete Bagarrão
Embaixo: Minelvina Cruz, Marízia Pestana, Amélia Castro e ?






Ficam mais estas memórias do basquetebol feminino de Moçâmedes.

Para que nenhum nome fique esquecido, aproveito para colocar aqui a lista dos nomes das basquetebolistas do Distrito de Moçâmedes (Sport Moçâmedes e Benfica, Atlético Clube de Moçâmedes, Sporting Clube de Moçâmedes e Ginásio Clube da Torre do Tombo), homenageadas no decurso de um encontro de alunos da Escola Comercial e Industrial de Moçâmedes, em 2009, eleborada por Walter Frota:



HOMENAGEM ÀS BASQUETEBOLISTAS DA NOSSA CIDADE

Foi o Sport Moçâmedes e Benfica que iniciou o basquetebol feminino em Moçâmedes como já atrás foi dito, no ano de 1948, motivando outras cidades a terem esta modalidade. Foi seu treinador o Prof. Emídio Cecílio Moreira.
Era constituída por:


Maria Gouveia
Augusta Gouveia (estas manas, mais tarde passaram-se para o Atlético)
Lola Coquenão
Luzia Cabral
Esmeralda Figueiredo
Ana Liberato
Luciana Maia
Élia Paulo
Maria Guerra


Depois, mais tarde na década de 50, o Benfica continuou a imperar , nesta modalidade, com o aparecimento de outras praticantes, de grande qualidade,
Alem das,


Manas Gouveia (Maria e Augusta)
Fernandina Peyroteo
Marlene
Bela Trindade
Gina Trindade
Celeste Ornelas
Minelvina Cruz
Fátima Abrantes
Lurdes Teixeira


Esta equipa era quase imbatível, ganhava a muitas equipas de juniores masculinos, pois no feminino não tinha rival. Quem não se lembra da tripla Bela/Fernandina/Marlene&, muito bem apoiadas pelas restantes. Foi seu treinador Arménio Lemos.




Capitulo II


Finais de 50 e princípios de 60, o Atlético, Sporting, Ginásio e o Ferrovia (por pouco tempo), criaram as sua equipas.


Vou listar as praticantes, não por clubes, pois poderia estar a incluír alguém erradamente. Faremos um exercício mental e quem nesses anos foi espectador de grandes e renhidos jogos, facilmente se recordará a que equipa pertencia.


Gina Figueira Fernandes
Lurdes Tavares
Guida Tavares
Júlia Minas
Guida Monteiro
Alice Teixeira
Antonieta Figueiredo
Eugenia Figueiredo
Manuela Sena Costa
Carla Frota
Lina Frota
Céu Jardim Martins
Marília Cavaco
Ivone Bernardino
Isaura Aguilar
Manuela Melquíades
Elisa Rocha
Ana da Conceição
Ana Rosa (Pasquinha)
Amélia Castro
Elisabeth Bagarrão
Lúcia Camacho
Beta Leitão
Marisa Pestana
Elisabeth Costa Santos
Céu Costa Santos
Elisabeth Passos Marques
Mariália Pereira
Wanda Caldeira


As que acima mencionei, recordo uma grande dupla, as manas Tavares (Lurdes e Guida). Gostava de ver jogar, a Elisa, a Ana a Pasquinha, a Marisa, a Amélia a Marília, todas com muita garra.
Treinador de gerações que se cruzaram o entusiasta desta modalidade, Artur Pinho Gomes.


Suzete Freitas
Júlia Jardim
Nilde Sousa
Claudete Figueiredo
Didi Minas
Esmeralda Freitas
Alice Teixeira
Manuela Martins
Raquel Martins
Antonieta Martins


Aqui neste conjunto, recordo a tripla, Suzete/Júlia/Claudete, também bem apoiadas pelas colegas. É difícil e com estas referências, nem quero, nem me passa pela cabeça, que estou a minimizar as restantes. Moçâmedes, teve sempre praticantes de grande qualidade. Quem me lê, deve ter o mesmo pensamento&Treinadores Norberto Aspra, Chico Carmo, Tó Gomes.


Capitulo III


Noelma Coelho
Orlanda Martins (Pequenó)
Bernardete Diogo
Antonieta Osório
Fátima Martins
Cláudia Guedes da Silva
Edith Pinheiro (Pequenina)
Julia Castro
Pitula Maló de Abreu
Manuela Camacho
Manuela Faustino
Manolo Santos
Eduarda Figueiredo
Dores Vieira


Miloca Alves
Manuela Alves
Antonieta (Boneca)


A garra da Pequenó, da Noelma, da Pequenina, o poder de encestamento da Manuela Faustino e da Manolo, marcaram também uma época. Foi treinador o Zeca Bauleth.


Paula Ferreira
Francelina Gomes
Helena Gomes
Helena Santos
Celisia Calão
Eduarda Bauleth
Nidia Almeida
Ricardina Lisboa
Rosa Seixal


Estas nove praticantes, não há enganos , foram do Ginásio Club da Torre do Tombo. Treinadas pelo Fernando Galvão, foi uma equipa de respeito . As manas Gomes (Francelina/ Helena) e Celísia formavam uma tripla eficiente, nos pontos que a equipa somava nos jogos, muito bem apoiadas pelas restantes.


A partir de certo ano, iniciaram os campeonatos da Mocidade Portuguesa. Apesar de jogarem nos diversos clubes da Cidade, formaram uma equipa, que havia de ser Campeã Nacional, representando Portugal nos jogos da Fisec, que se realizaram em Madrid em 1967.


Fizeram parte:


Ana da Conceição
Graça Castro
Idalina Rocha
Elsa Rodrigues da Silva
Cândida Quadros
Anabela Costa Santos
Eduarda Figueiredo
Alexandrina Silva


Foi sua treinadora a Marília Cavaco, e as estudantes foram acompanhadas pela professora de Matemática, Dra. Olga Reis.


Continua




Capitulo IV e ultimo


Em 1969, a nossa Cidade apresentou uma Selecção, constituída por:


Eduarda Figueiredo
Cila Calão
Rosa Seixal
Conceição Ferreira
Cidália Calão
Quina Falcão
Raquel Martins
Emília Gomes


Treinada por Chico Carmo (?).


Não consegui saber para jogar contra quem, se teve êxito ou não.


Por volta do ano de 1965, iniciou-se o CAMPEONATO DISTRITAL, que era disputado pelo Benfica, Atlético, Sporting, Ginásio, Recreativo da Bibala e o Independente de Porto Alexandre. Pelas informações que tenho o 1º lugar era dividido
pelo Benfica e Atlético, com primazia para o Benfica.




Estes elementos foram retirados de fotografias do espólio fotográfico do Humberto Pinho Gomes, do blogue da Nidia Almeida Jardim e de conversas que tive com algumas jogadoras e outros/as ligadas à modalidade.


Não me posso esquecer de outros treinadores, o Orlando Gomes, o Zéquinha Cruz e o Jorge Castro, que, com a sua experiência como ex-jogadores, vieram dar grande impulso ao basket feminino.


Esta versão teve algumas alterações em relação à apresentada no Encontro da Escola. Retoquei , introduzindo mais história . Falei com antigas praticantes e com o antigo presidente da Comissão Distrital de Árbitros, Arménio Minas, que me deram boas dicas, (20/06/2009)


Peço desculpa pela omissão de alguém.


Walter Frota


segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Basquetebol feminino: Atlético Clube de Moçâmedes (Angola , Namibe)


Esta teria sido uma das mais antigas fotos de uma equipa de basquetebol feminino do Atlético Clube de Moçâmedes, ainda so tempo em que as atletas envergavam shorts pelo joelho como mandavam as regras de decência e bem parecer... Em cima, da esq para a dt.: ?,?, Claudete Figueiredo e Esmeralda Freitas. Embaixo: Nide, Lulia Jardim e Helena Gomes. 1953

Em cima, da esq para a dt: Suzete, Nide, ?,?. Embaixo: Esmeralda Freitas, Claudete Figueiredo e Julia Jardim.
Basquetebol feminino: Atlético Clube de Moçâmedes 1956 by MOÇÂMEDES
  DESPORTO. 
Em cima, da esq para a dt: Maria Gouveia (Tito), Lurdes Teixeira,Celeste Ornelas, e Esmeralda Freitas. Embaixo: Júlia Jardim, Augusta Gouveia (Tito), Suzete Freitas e Claudete Figueiredo

HINO DO ATLÉTICO CLUBE DE MOÇÂMEDES

Salvé Atlético, salvé Moçâmedes, águias salvé
As suas cores defenderemos
Com alma e fé,
E fé.

Vive em nós todos e em nós palpita
O desejo nobre das vitórias
Astro refulgente de luz bendita
Reclamado de prestígio e de glória
De glória

Sua bandeira simboliza a esperança
E a paz bendita
A paz que vive em nossos corações
Graça infinita
Avante, pois oh mocidade
Saudaremos todos o paladino desta cidade,
Mocidade, mocidade.

P'lo futebol, atletismo e natação
Todos os desportos nele se praticam com correcção
Com correcção.

Vive em nós todos e em nós palpita...


1. Recorte do Jornal o Namibe de José Trindade, com a lista dos/das atletas mais votados/as nas diversas modalidades desportivas de Moçâmedes, no ano de 1954. Futebol: João Guedes (Sport Moçâmedes e Benfica); Basquetebol feminino : Bela Trindade (Sport Moçâmedes e Benfica); Basquetebol juniores: António Cardoso Alves (Gargalinhos- Sport Moçâmedes e Benfica); Hoquei em Patins: Arménio Jardim (Atlético Clube de Moçâmedes).


segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Equipa de basquetebl feminino do Colégio de Porto Alexandre: anos 60




Equipa de basquetebol do colégio Cónego Zagalo, de Porto Alexandre (actual Tombwa), distrito de Moçâmedes, cedida a Sanzalangola, por Eloísa.

Em cima: Mélita Parreira da Cruz, Paula, Idalina, Lurdes Mariana. Em baixo: Zé Trindade Couto, Julieta, Luzete , São Maurício, ... ???   Em baixo: treinador Trindade, Julieta, irmã da Paula, Susete e ?


segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Equipas de basquetebol feminino e badminton da Mocidade Portuguesa: década de 1960/70

Teresa Chalupa, Mélita Parreira da Cruz e Paula Chalupa
  Paula Chalupa na Bélgica (MP)



Celina, Teresa Chalupa, Helena Chalupa, Eugénia Sena (Gena), Iolanda Costa Santos, Elisa Sena...


Em cima, da esq. para a dt: Alexandrina Freitas, Raquel Martins, Ana Oliveira (Xana), Elsa Rodrigues e Cândida Quadros. Embaixo: Eduarda Figueiredo, Graça Castro, Isabel Costa Santos e Idalina Costa.